Fazenda do Viegas



faz105

A Fazenda do Viegas foi sede do antigo Engenho da Lapa, fundado pelo colonizador Manuel de Souza Viegas, que deu nome ao morro, ao caminho e à estrada, no século XVII. Em 1725 a fazenda pertencia a Francisco Garcia do Amaral, que nela construiu a Capela de Nossa Senhora da Lapa.

A fazenda era então famosa pelos seus equipamentos, destacando-se o Engenho da Lapa, o qual produzia semanalmente 22 caixas de açúcar de 50kg e 1.000 litros de aguardente. Em 1777, possuindo 53 escravos, o Engenho da Lapa era considerado o segundo em importância na então freguesia de Campo Grande.

A Fazenda do Viegas produziu cana-de-açúcar por quase 80 anos, sendo considerada a segunda em importância na freguesia de Campo Grande. Com o surgimento da cafeicultura no início do século XIX, a fazenda foi uma das precursoras da produção do café no Brasil e suas lavouras se espalharam pelas Serras de Bangu, Lameirão e do Mendanha, atingindo o ápice nos anos de 1800. Atravessada pela Estrada Real de Santa Cruz (atual avenida de Santa Cruz), serviu de hospedagem ao Imperador Dom Pedro II em suas viagens a Santa Cruz. Nessa época, pertencia aos herdeiros de Helena Januária Campos Cardoso.

Em 1938, a sede da Fazenda do Viegas e Capela anexa foram tombadas pela União. Em 1995, uma reforma feita pela Prefeitura (DGPC) recuperou os históricos imóveis, e, em 1999, a SMAC realizou projeto de revitalização paisagística e cercamento do local, consolidando o “Parque Municipal Fazenda do Viegas” como importante área verde.

“Parque Municipal Fazenda do Viegas”

PARQUE NATURAL MUNICIPAL FAZENDA DO VIEGAS

Localiza-se numa elevação isolada que tem, ao Sul, a Serra do Viegas, e a Sudoeste, a Serra do Lameirão, integrantes do Maciço da Pedra Branca. O Parque está situado na Rua Marmiari, no 221, no bairro de Senador Camará, tendo como limites as ruas Professor Ulisses Nonohay, Marmiari e Avenida Carlos Correia. Com uma área de 8,49 ha.

LOCALIZAÇÃO :

R. Marmiári, 221 – Senador Camará RJ

O acesso ao Parque através da Avenida Santa Cruz, principal eixo viário da área, que faz a ligação entre os bairros de Realengo e Senador Vasconcelos, passando pelos bairros de Padre Miguel, Bangu, Senador Camará e Santíssimo, e que se constitui em via de acesso destes a Campo Grande, principal centro comercial e de serviços da Zona Oeste. A partir da Avenida Santa Cruz, que conta com diversas ligações por vias secundárias à Avenida Brasil, se chega à Estrada do Viegas, onde se situa a entrada do Parque.

Horário: Segunda a sexta, 8h às 17h.

Na Avenida Santa Cruz, de onde deverá fazer uma curta caminhada até a entrada do Parque, as linhas no 396 (Largo de São Francisco-Bairro Jabour), 689 (Méier-Campo Grande), 746 (Cascadura-Senador Camará/circular), 864 (Bangu-Campo Grande), 870 (Bangu-Sepetiba), 817 (Campo Grande-Fazenda Botafogo), 795 (Pavuna-Magalhães Bastos) e 1.132 (Castelo-Campo Grande), sendo esta última uma linha especial.

O parque é local de visitas escolares, caminhadas,nele ocorrem eventos relacionados a datas comemorativas, Além das construções, típicas do Brasil colônia, o local possuí elementos nativos da fauna e flora da Mata Atlântica, tendo as edificações construidas da antiga Fazenda do Viegas muitos serviços feitos em cantaria.

Mapa da Região da Fazenda do Viegas
 


Exibir mapa ampliado
Conheça os Pontos Turisticos do Rio

2 thoughts on “Fazenda do Viegas

  1. carlos alberto cardoso says:

    Sou bisneto de Helena Januária Campos Cardoso. Minha mãe dizia que a “velha Januária” havia sido “pega a laço”, ainda menina, e dada de presente ao antigo dono dessa casa que hoje é museu
    As escravas não tinham nenhum direito sobre seu próprio corpo, por esse motivo, a minha bisavó teve vários filhos com o patrão, inclusive meu avó: José Luiz Cardoso. (Este fato pode ser verificado no espólio de Helena J. C. Cardoso, cujo bens foram deixados como herança).
    Gostaria de ter contato com alguns historiadores e resgatar esses fragmentos históricos.
    Nasci e me crie nos antigos laranjais existentes antes da construção da Vila Aliança

  2. SIMONE SINES says:

    A FAZENDA HOJE É ABANDONADA , PERIGOSA PARA VISITAÇÃO CHEIA DE CRACUDOS QUE SE ESCONDEM NA CAPELA UNICA COISA QUE SOBROU DA CASA GRANDE, PRA DESPISTAR POIS DEVE TER MUITA GENTE EMPREGADA NO PARQUE QU NÃO PRESTA SERVIÇO ARRUMARAM O PORTÃO PRINCIPAL QUE DÁ NA CASA DA CHARRETE, FAZENDO DESTE COMODO EXPOSIÇÃO BIOLOGICAS, UNICA COISA QUE SE PODE VISITAR SÓ 20% DA FAZENDA SE ENCONTRA DE PÉ ISSO É TRISTE , UM ESPAÇO VERDE MAL CUIDADO .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>