Transolimpica



trans-olimpica-2016

Transolimpica no Rio de Janeiro

Foi inalgurada em (09/07/16), a Transolímpica que entrará em operação nos Jogos Rio 2016 atendendo exclusivamente os espectadores e a força de trabalho (Work Force) das instalações esportivas através do BRT e a família olímpica nas duas faixas da via expressa dedicadas aos carros (em cada sentido) em veículos credenciados. A via já está à disposição da família olímpica e os serviços de BRT para os Jogos terão início a partir do dia 18 de julho.

Com 26 km de extensão, após as Olimpíadas, a via será aberta à população e fará a ligação intermodal com o BRT Transcarioca, em Curicica, e a Transoeste, no Recreio dos Bandeirantes, além de ser integrada aos trens da SuperVia e futuramente à Transbrasil, em Deodoro. A estimativa é que o tempo de viagem entre Deodoro e Recreio seja reduzido em 60%, beneficiando 70 mil passageiros por dia no BRT e comportando até 55 mil veículos diariamente na via expressa. A nova via contará com 41 novas travessias entre viadutos, pontes e elevados, e terá 17 estações e quatro terminais. O quinto terminal de Deodoro só ficará pronto em 2017 com a inauguração da Transbrasil. Ao todo serão 22 pontos de parada.
Iniciadas em julho de 2012, as obras da Transolímpica ?contaram com investimento de R$ 2,2 bilhões. A via permite a integração de 11 regiões da cidade: Recreio dos Bandeirantes, Barra da Tijuca, Riocentro, Camorim, Curicica, Colônia Juliano Moreira, Taquara, Sulacap, Vila Militar, Magalhães Bastos e Deodoro. Entre os viadutos construídos estão o da Avenida Brasil, o sobre a Estrada São Pedro de Alcântara, Avenida Marechal Fontenelle, da Avenida Carlos Pontes, da Estrada da Boiúna, da Estrada do Rio Grande, da Rua Ipadú, da Estrada do Outeiro Santo, da Rua Sampaio Correia, da Rua André Rocha, do Rio Ventura, da Rua da Creche, da Estrada dos Bandeirantes e os elevados Duque de Caxias e de Curicica.
A implantação da Transolímpica contempla a abertura de novos caminhos pelo Maciço da Pedra Branca, por meio da construção de dois túneis, sendo quatro emboques – antigo pleito da população, viabilizado com os Jogos Rio 2016, que aguarda há pelo menos 30 anos esta nova alternativa viária à sobrecarregada Estrada do Catonho. O primeiro túnel, na Serra do Engelho Velho, conta com duas galerias e extensão de 2,8 km (1,4 km em cada sentido); já o segundo, situado na Estrada da Boiúna, possui duas galerias de 190 metros cada.

Funcionamento dos BRTs durante os Jogos

A Transolímpica vai interligar as maiores instalações dos Jogos Olímpicos de 2016: Vila dos Atletas e o Parque Olímpico, na Barra da Tijuca, e o Complexo Esportivo de Deodoro, encurtando a distância entre os dois bairros. Durante o período de competições, o serviço do BRT Transolímpica partirá da Avenida Salvador Allende, no Recreio, e irá até a estação de Magalhães Bastos, para facilitar a chegada de atletas e espectadores nas duas maiores instalações olímpicas: o Parque Olímpico, na região da Barra, e o Complexo Esportivo de Deodoro – áreas que concentram a maior parte (64%) das disputas. O público em geral só terá acesso às áreas de competição por transporte público. O BRT Transolímpica será uma das formas de chegar ao Parque Olímpico e ao Complexo Esportivo de Deodoro.

No período das Olimpíadas, os serviços regulares do BRT não serão afetados e ficarão disponíveis normalmente aos passageiros. Foram criados quatro serviços especiais de BRT para atender o espectador olímpico e não alterar a rotina da cidade: Vila Militar – Recreio dos Bandeirantes; Centro Olímpico – Jardim Oceânico; Centro Olímpico – Vicente de Carvalho; e Golfe Olímpico – Jardim Oceânico. As estações Madureira-Manaceia e Vicente de Carvalho, que fazem parte da operação especial “Centro Olímpico – Vicente de Carvalho” e também atendem usuários do corredor BRT Transcarioca, terão módulos independentes de embarque para os espectadores olímpicos. Esses serviços estarão disponíveis para quem tiver o RioCard Jogos Rio 2016. A expectativa é de que 27 mil passageiros utilizem esse sistema nos horários de pico durante este período.

Para acessar os serviços especiais no BRT Transolímpica durante os jogos, os passageiros contarão com seis estações e dois terminais. Próximas ao Parque Olímpico estarão as seguintes estações: Olof Palme, Morro do Outeiro e RioCentro, além dos terminais Olímpico e Paralímpico (Recreio). Nas redondezas do Complexo Esportivo de Deodoro estarão as estações Marechal Fontenelle, São José de Magalhães Bastos e Vila Militar.
O público com destino ao Complexo Esportivo de Deodoro também terá à disposição a linha exclusiva “Circular Olímpica” partindo da estação Magalhães Bastos para o Parque Radical. O transporte será feito por ônibus, de forma gratuita, com exclusividade para quem desembarcar do serviço especial do BRT com cartão RioCard Jogos Rio 2016. Prefeitura- RJ

A Transolimpica com os 26 quilômetros que ligarão o bairro de Deodoro à Barra da Tijuca através do corredor Transolímpica do BRT (Bus Rapid Transit) farão mais do que encurtar o tempo de deslocamento dos atletas entre as instalações dos Jogos de 2016.

O projeto, que está entre os compromissos assumidos pela Prefeitura do Rio com o Comitê Olímpico Internacional (COI), prevê a duplicação de importantes vias, como a Avenida Salvador Allende e as estradas de Curicica e do Guerenguê, bem como a abertura de novos caminhos entre o Maciço da Pedra Branca com a construção de quatro túneis e novas ruas.


O corredor seguirá o modelo de outros dois em construção – o Transoeste e o Transcarioca -, com vias de três pistas, cada – uma delas reservada aos ônibus articulados. Além de facilitar a vida de motoristas e passageiros de ônibus, o BRT Transolímpica será integrado ainda aos trens da Supervia em Deodoro e Magalhães Bastos, criando uma opção hoje inexistente entre esses meios de transporte. Outro ponto de integração será no trevo entre a Estrada dos Bandeirantes e a Avenida Salvador Allende, por onde passará o BRT Transcarioca, ligação entre a Barra da Tijuca e o Aeroporto Internacional Tom Jobim.

transolimpica1
Considerada a maior obra da cidade nos últimos 30 anos, o BRT Transolímpica vai criar novas vias e cortará os bairros da Barra e Recreio dos Bandeirantes, Camorim, Curicica, Taquara, Jardim Sulacap, Magalhães Bastos, Vila Militar e Deodoro, beneficiando diretamente mais de 400 mil moradores da região, e se consolidando como uma opção à Linha Amarela para quem vive na Baixada Fluminense e nas regiões às margens da Avenida Brasil. Como nos outros corredores BRT, o transporte dos passageiros será feito em ônibus articulados com capacidade para 160 passageiros ou mais, cada um.


Todos os veículos – cerca de 60 – terão ar-condicionado, portas no lado esquerdo e piso elevado a 90 centímetros do solo, alinhado com as estações, que serão 18 entre a Barra e Deodoro, além de total acessibilidade a pessoas com deficiência. Por onde passar, o BRT Transolímpica promoverá também a urbanização do entorno. Serão construídas pistas em nível, nove quilômetros de ruas marginais, calçadas largas e travessia prioritária de pedestres, além de ciclovias e bicicletários nas estações. A expectativa da Prefeitura é de que todas as obras fiquem prontas em 2015. fonte prefeitura


NOTICIAS

Desapropriações na Zona Oeste agilizam Corredor Transolímpico

15/10/2013 17:28:00

Decretos do prefeito Eduardo Paes, publicados nesta terça-feira (15/10) no Diário Oficial do Município, declaram de utilidade pública os imóveis, em trechos de vias da Zona Oeste, para desapropriações. Objetivo é facilitar a construção do Corredor Transolímpico.

Em Magalhães Bastos haverá desapropriação parcial de quatro imóveis na Rua Salustiano Silva e um imóvel na Estrada Marechal Fontenelle


Informações sobre Transolimpica estão à disposição no Jardim Sulacap


Das 10h às 16h, nas esquinas das ruas Teodoro Sampaio e Euzébio de Almeida, no Jardim Sulacap, já está funcionando o segundo posto de atendimento do projeto Transolímpica & Você, para dar informações sobre a construção do corredor expresso rodoviário.

A Transolímpica vai interligar as maiores instalações dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos de 2016, como a Vila dos Atletas e o Parque Olímpico (Barra da Tijuca) e o Parque Radical do Rio (Deodoro), obra a ser concluída no primeiro semestre de 2016.

A exemplo do atendimento no primeiro posto, instalado em maio em Curicica (Estrada dos Bandeirantes, esquina da Avenida Salvador Allende), o novo posto, com registro e armazenamento de dados, está à disposição de todos. Além das consultas pessoais, há também atendimento pelo telefone 0800 730 0732 e pelo email atendimento2@transolimpica.com.

Comunicado da Secretaria Municipal de Obras saiu na quinta-feira (01/08), no Diário Oficial do Município.


TransOlímpica, viaduto em Sulacap começa a ser construído

Viaduto fará parte da TransOlímpica, corredor expresso que ligará a Barra da Tijuca a Deodoro ao longo de 26km de via expressa, cortando bairros como Curicica, Deodoro e Sulacap.
O público terá acesso ao Parque dos Atletas, Centro de Imprensa e Centro Olímpico de Hockey, só para citar alguns locais de competição. Mas acima de tudo terá um novo corredor viário para o futuro da cidade. Previsto na obra, o viaduto de Sulacap já começa a tomar forma na Avenida Marechal Fontenelle. Os trabalhos recém-iniciados estão na fase de fundação dos pilares no meio da avenida.

Consórcio vence o Leilão

O Consórcio formado por Invepar, Odebrecht Transport e CCR, chamado Rio Olímpico, venceu o leilão do projeto da Ligação Transolímpica, realizado pela prefeitura do Rio de Janeiro, com uma proposta de R$ 57,97 milhões.

As empresas do consórcio terão de executar as obras do corredor expresso de 13 quilômetros, incluindo os sistemas de operação e manutenção. Estão previstas duas faixas por sentido e duas faixas por sentido para o BRT (Bus Rapid Transit); um túnel de 1,53 quilômetro de extensão e 48 pontes e viadutos.

O contrato terá duração de 35 anos. O vencedor será responsável pela conservação, manutenção e operação do corredor.

 

Prefeitura publica edital de licitação para obra da Transolímpica

O valor estimado da obra é de R$ 1,6 bilhão e as propostas deverão ser apresentadas no dia 9 de novembro 14/09/2011 A Secretaria Municipal de Obras publica edital de licitação de concessão de obra da ligação Transolímpica.
A via terá aproximadamente 13 quilômetros ligando a Avenida dos Bandeirantes (Barra da Tijuca), até a Avenida Brasil, na altura de Deodoro.
O valor estimado da obra é de R$ 1,6 bilhão e as propostas deverão ser apresentadas no dia 9 de novembro. A Transolímpica é a via expressa que fará a ligação direta entre a Barra da Tijuca e Deodoro, dois dos principais polos de competição dos Jogos Olímpicos de 2016.
De acordo com o projeto, que integra o caderno de encargos assinado pela Prefeitura com o Comitê Olímpico Internacional (COI) para a competição, a Transolímpica encurtará o tempo de deslocamento – de carro ou de ônibus – entre as duas regiões, o que facilitará o acesso do público à Barra da Tijuca .


O projeto de construção da via Transolímpica, que ligará a Barra da Tijuca à Deodoro dois bairros da Zona Oeste que deverão abrigar grande número de complexos esportivos.Projeto da via Transolímpica Rio de Janeiro

A construção está prevista no caderno de encargos assinado pela Prefeitura com o Comitê Olímpico Internacional para os Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de 2016.

A nova via expressa atravessará seis bairros e terá 26 quilômetros (km) de extensão, com três faixas para veículos em cada sentido e uma faixa central exclusiva para o sistema de Bus Rapid Transit (BRT) em cada sentido.

A projeção inicial é que 50 mil veículos irão trafegar diariamente pela via. O sistema BRT consiste em ônibus articulados, com capacidade para 160 passageiros e estações exclusivas de embarque e desembarque.

O pagamento da passagem será feito nas próprias estações como ocorre com o metrô. As estações contarão também com baias, para permitir o fluxo contínuo de linhas expressas. Inicialmente, serão 60 ônibus, que transportarão 100 mil passageiros por dia. Esse sistema de transporte foi utilizado pela primeira vez em 1972, em Curitiba, e hoje é usado em vários lugares do mundo, inclusive na África do Sul, sede da Copa do Mundo deste ano. Bogotá é a cidade que mais apostou no BRT: são 84 km de extensão, atendendo a 1,45 milhão passageiros por dia.

Dos 26 km do trajeto, quatro serão de túneis. Também serão construídos 30km de ciclovias nas laterais da via e nas áreas marginais. As estações de BRT terão bicicletários para possibilitar e incentivar o transporte alternativo. Paes também revelou que a prefeitura está pleiteando recursos federais para a implantação da Transolímpica, mas prefere garantir e não contar com anúncio de financiamento em fim de governo.

Por isso, a construção e a operação da via será feita por meio de uma parceria público-privada. A concessão da operação do sistema BRT será por 35 anos e o vencedor será responsável pela aquisição dos ônibus, sistemas de controle, construção de garagens, construção e manutenção das estações e operação de todo o sistema. O projeto prevê um pedágio, ainda sem valor definido. O anúncio de audiência pública para discutir o projeto será feito no dia 11 de junho e do edital em setembro.

A assinatura do contrato e o início das obras devem ocorrer na primeira metade de 2011. A previsão para a conclusão da via é de 48 meses, com inauguração prevista no primeiro semestre de 2015. Os custos da obra só serão divulgados na época da audiência pública. Durante o anúncio do projeto, circulou a informação de que a Zona Portuária do Rio de Janeiro também contará com verba de uma parceria público-privada. O prefeito desconversou, mas ele é um dos maiores defensores de levar para a região parte das instalações esportivas das Olimpíadas. Extraído de: Agência Brasil

  TRANSOESTE TRANSCARIOCA

Partindo da Barra da Tijuca, do cruzamento das avenidas das Américas e Salvador Allende, a Transolímpica passará pela Taquara, Curicica, Sulacap e Magalhães Bastos, até chegar a Deodoro, onde desembocará na Avenida Brasil, perto da Vila Militar.

A construção da via também será responsável por promover a inserção da região de Deodoro e Magalhães Bastos como novo polo de crescimento residencial e econômico da cidade.

One thought on “Transolimpica

  1. Ótimo projeto, minha tristeza é a proibição de bicicleta na rodovia, no projeto inicial tinha uma parte dedicada a bicicleta!!!!!!!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>