Ipanema



Ipanema

Ipanema, bairro fundado em 1894, é um dos mais nobres do Rio de Janeiro. Localiza-se na Zona Sul da Cidade e possui um belo litoral. O bairro tem 50.000 habitantes e faz divisa com os bairros de Copacabana, Leblon e Lagoa.

O período de maior adensamento do bairro se deu a partir dos anos 60, quando houve o avanço da especulação imobiliária sobre o bairro, substituindo casas por edifícios. Os preços dos imóveis disparam e Ipanema passa a ser um dos bairros mais caros do Rio de Janeiro. Sinônimo de vanguarda, nos anos 60 e 70 Ipanema é palco do Tropicalismo, da Bossa-Nova, do Pasquim, do Teatro de Ipanema, da tanga e do top-less.

O nome Ipanema significa “águas perigosas” em tupi-guarani. Os visitantes da praia devem ter cuidado na hora de mergulhar, pois há correntezas fortes. O Arpoador, uma das pontas de Ipanema, é um paraíso do surfe.

Ipanema figura entre os principais pontos turísticos da cidade do Rio de Janeiro, tanto para turistas brasileiros quanto internacionais. Todo ano, turistas lotam o tradicional bairro e sua praia.

ipanema-vct_santos
     

Turismo

Ipanema e um dos principais pontos turísticos da cidade do Rio de Janeiro, tanto para turistas brasileiros quanto internacionais. Todo ano, turistas lotam o tradicional bairro e sua praia, que conta com infraestrutura hoteleira de qualidade.

O Parque garota de Ipanema e a Pedra do Arpoador são pontos turísticos interessantes. Assim como a vista para o Morro Dois Irmãos, um cartão-postal do Rio de Janeiro.

Merece destaque também a Igreja de Nossa Senhora da Paz, recentemente reformada.

Recentemente, também vários albergues têm sido instalados no bairro, o que aumentou consideravelmente o número de jovens de todos os lugares do mundo, nas ruas. Isso valorizou imóveis antes menos procurados, como as casas mais antigas localizadas no bairro.

População: a população é de classe média alta à classe alta.

ipanema-anaredig

      Cultura

O bairro é conhecido também pelos seus teatros e cinemas como a Casa de Cultura Laura Alvim, Teatro Ipanema e Estação Ipanema. Durante o carnaval, vários blocos tradicionais como a Banda de Ipanema, o Simpatia é Quase Amor e o Rola Preguiçosa circulam pelo bairro. A sede carioca da Rede Record de televisão fica na Praça Nossa Senhora da Paz.

ipanema-leivas

      Comércio

O comércio de luxo vem crescendo no bairro:, lojas e butiques  têm suas origens ligadas ao bairro. As sedes de grandes joalherias como também são localizadas em Ipanema. Grandes marcas internacionais  também escolheram lojas em pontos do bairro. Estas lojas se concentram nas ruas Garcia D’Avila e Visconde de Pirajá e Maria Quitéria.

O bairro ainda possui alguns dos melhores e mais tradicionais bares e restaurantes do Rio de Janeiro, como o Bar Garota de Ipanema, onde Vinícius de Morais criou a famosa canção homônima. Podemos citar, também, o Bar Vinte, na Rua Visconde de Pirajá, onde antigamente o bonde fazia a volta e o bar Paz e Amor, na esquina das ruas Garcia D’ávila e Nascimento Silva.

O primeiro supermercado conhecido pelo seu padrão de qualidade e serviço, se encontra próximo à Praça General Osório. Além das feiras de frutas e verduras nas praças General Osório e Nossa Senhora da Paz, aos domingos acontece a tradicional Feira Hippie, com venda de artesanato e quadros.

                            garota-de-ipanema-Phillie-C

 

Historia de ipanema

A restinga hoje ocupada pelos bairros de Ipanema e Leblon já era habitada desde priscas eras. Com efeito, há provas que os primeiros agrupamentos indígenas assentaram naquela região por volta do século VI.

Um mapa francês de 1558 situa duas aldeias tamoias naquelas plagas,uma em Ipanema (aldeia “Jaboracyá”) e outra no Leblon (aldeia “Kariané”). Ambas sobreviveram aos primeiros anos da cidade, mas foram eliminadas em 1575 pelo “Governador da Parte Sul do Brasil”, Antônio de Salema, natural de Alcácer do Sal (152? -1586).

Desejoso daquelas terras, Salema, em seu mandato de três anos (1575-1578) mandou colocar roupas de doentes nas matas da região, eliminando osíndios por contágio. Na parte onde hoje está o Jardim Botânico, mandou erigir um engenho de cana, ao qual denominou “D`El Rei”. O engenho não deu certo de início e em 1584 foi sugerida sua venda. Quatorze anos depois, ele foi vendido ao Vereador Diogo de Amorim Soares, vindo da Bahia (1558? -1609?), que o rebatizou de “Engenho de Nossa Senhora da Conceição da Lagoa”. Soares, retirando-se da cidade em 1609, revendeu as terras no ano anterior a seu genro, Sebastião Fagundes Varela, natural de Viana do Castelo (1563- 1639), casado com sua filha Da. Maria de Amorim Soares (1589-1676). Fagundes logo ampliou as instalações do engenho e, para tal, cobiçou para sua empresa os terrenos de marinha.

Os primeiros proprietários das praias da zona sul carioca, afora os índios tamoios, foram poucos portugueses. Em 1603 Antônio Pacheco Calheiros (1569? -1634), vereador em 1619, casado com Da. Inês de Leão, obteve enfiteuse de terras que iam do engenho de Diogo de Amorim Soares (Lagoa) até a “costa brava” (Leblon), correndo até a Gávea (Vidigal). Em 1606, Afonso Fernandes e sua esposa, Da. Domingas Mendes obtiveram carta de sesmaria da câmara que lhes davam o aforamento de “300 braças começadas a medir do Pão de Açúcar ao longo do mar salgado para a Praia de João de Souza (Botafogo) e para o sertão, costa brava, tudo o que houvesse”. Eram todos os terrenos de marinha do Leme ao atual Leblon, incluindo-se aí, é claro, a futura Ipanema. Pagavam foro de 1000 réis. Em 1609, Da. Domingas, já viúva, trespassa esse aforamento a Martim de Sá (1575-1632), Governador do Rio de Janeiro (1602/08, e 1623/32), filho do então ex-Governador Salvador Corrêa de Sá, nascido em Barcelos (1542- 1631, governou em 1568/72 e 78/98) para benefício do engenho que o mesmo possuía na Lagoa.

Esse engenho, denominado de “Nossa Senhora das Cabeças”, não foi adiante, haja vista que Martim estava erguendo outro maior em terras que obtivera na aldeia de “Guaraguassú Mirim” (atual Barra da Tijuca). O aforamento então foi sendo aos poucos repassado, sucessivamente em 22 de junho de1609, das terras que iam desde o Pão de Açúcar até a “Praia Brava” (Leblon); em 23 de setembro de 1611 (mais terras); em 19 de julho de 1617 (para aumento de pastos); e em 1619 ao dono do “Engenho de Nossa Senhora da Conceição da Lagoa”, Sebastião Fagundes Varela. O aforamento era por 9 anos e tinha mais 400 braças para o sertão, permitindo a Varela explorar para pasto e extração de madeiras para seu engenho. Varela ficou assim, aos poucos, dono de todas as terras que iam do Humaitá ao Leblon. A extensão de suas posses abrangia 1700 braças de testada e 4.500.000 braças de área, que englobava a atual Lagoa Rodrigo de Freitas. Os terrenos pagavam foro de 6$400 réis ao “Senado da Câmara”. Esse latifundiário criava gado nessas praias, onde suas vacas pastavam entre cajueiros, ananases e pitangueiras.



 MAPA DO BAIRRO DE IPANEMA


Exibir mapa ampliado

 

Video de Ipanema

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>