Circuito de Canoagem Slalom dos Jogos Rio 2016



corredeira1

A prefeitura do Rio inaugurou, na manhã desta quinta-feira 26/11/15, o Circuito de Canoagem Slalom dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016, no Complexo Esportivo de Deodoro. De 26/11 a 29/11, o local recebe o evento-teste da modalidade para as Olimpíadas, com a participação de 250 atletas de 40 países.

O presidente do Comitê Rio 2016, Carlos Arthur Nuzman, fez uma avaliação positiva das obras do Circuito de Canoagem Slalom:

 O balanço é ótimo. Acho que estamos recebendo instalações das mais difíceis e complexas. É um orgulho muito grande para essa região, pois nós defendemos na candidatura do Rio para sediar as Olimpíadas que a cidade inteira receberia os jogos e se desenvolveria com eles.

A instalação do Circuito de Canoagem Slalom tem dois canais: o de competição, com 25m e quatro bombas; e o de treino, com 200m e três bombas. O volume de água supera os 25 mil m³, o equivalente a sete piscinas olímpicas, mas será necessário utilizar este volume apenas uma vez, pois uma estação de tratamento interna vai garantir a renovação da água durante o período de treinos e competição. Os oito mil assentos provisórios serão colocados apenas para os Jogos.

Como uma das diretrizes da Prefeitura do Rio é simplificar os equipamentos esportivos sem deixar de atender ao padrão olímpico, foi proposto que o circuito tivesse menos altura e, portanto, menor gasto de energia elétrica (necessária para impulsionar a água até o topo da instalação). Essa alteração não afetou as exigências técnicas da Federação Internacional de Canoagem e do Comitê Olímpico Internacional, que acompanharam todo o desenvolvimento do projeto.

Após os Jogos Olímpicos, o Circuito de Canoagem Slalom – assim como a pista de BMX – fará parte do Parque Radical, que vai oferecer opções de recreação e prática esportiva para a população, incluindo uma ciclovia. Com 500 mil metros quadrados, será a segunda maior área de lazer da cidade, atrás apenas do Parque do Flamengo, beneficiando uma região com grande concentração de população jovem e poucas opções de lazer e para a prática de esportes. 

Próximo aos bairros de Anchieta, Campo dos Afonsos, Deodoro, Guadalupe, Jardim Sulacap, Magalhães Bastos, Parque Anchieta, Realengo, Ricardo de Albuquerque e Vila Militar, o Complexo Esportivo de Deodoro é vizinho de três municípios populosos da Região Metropolitana do Rio – Nilópolis, Nova Iguaçu e Mesquita –, que também vão aproveitar o legado que os Jogos deixarão no Parque Radical. 

 

O planejamento para o aproveitamento do Parque Radical divide a área em cinco setores, de acordo com o perfil de cada um. No setor 1, onde ficam o Circuito de Canoagem Slalom e a Pista de BMX, a ideia é o uso combinado do público e dos atletas de alto rendimento. O equipamento de canoagem slalom vai se tornar um grande lago recreativo. Os obstáculos que dificultarão a performance de canoístas profissionais nos Jogos serão retirados e permitirão a criação de um canal com uma correnteza leve, para diversão dos usuários, que poderão descê-lo a nado ou em boias. A pista olímpica de BMX permanecerá, com suas ondulações desafiadoras. No terreno ao lado, serão instaladas quadras poliesportivas. 

O setor 2 será o mais dedicado à natureza, com trilhas ecológicas, equipamentos de ginástica – inclusive para a Terceira Idade – e locais de descanso e contemplação, com assentos, quiosques e jardins. Já o setor 3 terá uma minipista de mountain bike e será ponto de encontro das famílias, com espaço para convivência com churrasqueiras e trilhas, além de um mirante que permitirá ampla visão do parque. 

Outras quadras poliesportivas, uma ciclovia, uma pista de skate e outra de BMX, para iniciantes, comporão o setor 4. O setor 5 será dedicado ao cidadão, com oferta de serviços à comunidade. Serão instalados no local uma Nave do Conhecimento, uma Clínica da Família e equipamentos de educação ambiental.

Nos Jogos Rio 2016, o Complexo Esportivo de Deodoro será sede de 11 modalidades olímpicas (hipismo – saltos, hipismo – adestramento, concurso completo de equitação, BMX, mountain bike, pentatlo moderno, tiro esportivo, canoagem slalom, hóquei sobre grama, rúgbi e basquete) e quatro paralímpicas (tiro esportivo, hipismo, esgrima e futebol de 7). 

Como recebeu os Jogos Pan-Americanos de 2007 e os Jogos Mundiais Militares de 2011, o complexo já tinha 60% das áreas de competição permanentes construídas – o Centro Nacional de Tiro, a piscina do pentatlo moderno, o Centro Nacional de Hipismo e o Centro de Hóquei Sobre Grama precisavam apenas de adaptações. Com o projeto olímpico, o local ganhou três instalações permanentes: a Arena da Juventude, a Pista de BMX e o Circuito de Canoagem Slalom. A Pista de Mountain Bike e o Estádio de Deodoro (rúgbi, hipismo do pentatlo moderno e combinado do pentatlo moderno) serão provisórios. 

As obras são executadas pela Prefeitura do Rio com recursos do Ministério do Esporte.

Prefeitura- RJ –  Autor: Anna Beatriz Cunha

 Fotos: Beth Santos, Paula Johas e Ricardo Cassiano

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>